quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Tuitadas

Parece óbvio agora que o Twitter vai matar os blogs. Você vai lá, conta uma besteirinha, fala uma bobagem, tem um retorno (ou até uma retuitada) imediata e pronto. Assunto morreu. Blog exige tempo, argumento etc. Mas só estou comentando. Esse aqui não vai morrer, não. Vai mudar um pouquinho, acho. A freqüência, quem sabe: posts semanais, ou a cada três dias. E não adianta brigar comigo. Olha pro meu blogroll aí do lado. É a tendência. Toda hora tinha post novo, agora tá difícil de mudar a ordem (por post recente). Legal mesmo seria todo mundo entrar no Twitter de uma vez. Mas vocês não gostam, igual criança que não come verdura mas também não experimenta. Então vamos por tuitadas, dessa vez, pra eu contar um pouco do pequeno e inacreditável mundo de Tina Lopes.

E ontem na vernissage uma escritora tava de cabelo todo pro lado, crespão, toda trabalhada no laquê e blusa de renda com laço no pescoço!
4:20 PM Aug 28th from web

Daí que é intelectual. Helooo? 1982 ligou e pediu o scarpin de volta! (lembrei da amiga da Elaine #seinfeld)
4:22 PM Aug 28th from web


Quarta passada foi *o* dia atípico. Duas vernissages (adoro essa palavra). Ambas às 19h30. Corre levar Nina na casa da vó. A primeira foi de um livro de psicanálise, numa livraria de shopping. A segunda, do meu sócio, que é fotógrafo. Parêntese: tenho uma empresa porque não sou funcionária, sou contratada por nota, autônoma. Dá um trabalho e é chato pra caramba. Não tenho 13º nem férias. Mas o salário é melhorzinho do que seria se tivesse carteira assinada. Bem, o fato é que tenho um sócio, que é meu amigo da faculdade e é fotógrafo. Também é chique e fez fotos maravilhosas de Paris quando esteve por lá. Como estamos no Ano da França do Brasil, rolou um patrocínio pra exposição num café bem bacaninha.

Enfim.

O primeiro, do livro. Era de um amigo e uma ex-aluna do Marido. Interessante. Os alunos do curso do Marido foram “prestigiar” – isto é, beber todo o vinho barato de graça do evento. Lembrei do tempo em que a gente vivia procurando vernissages no Largo da Ordem. Tinha muito, sempre de pintura. Todo um estoque de Almadén reservado aos visitantes sem dinheiro. Era divertido. O Marido ficou lá fazendo um social, e eu cutucando porque queria ir logo pro boteco ver as fotos do sócio.
Detalhe: eu estava posando de primeira-dama do Curso e logo num bad-hair-day. Isso é praga. Lembra daquela cena do Indiana Jones, o primeiro (olha entregando a idade), em que uma aluna dele escreve “Love You” nas pálpebras e fica piscando? Então, tinha uma moreninha lá desse tipo. As demais também, tudo suspirando pelo profe. Acho divertido, juro. O que ele pode fazer se é gatão? Ficar feio é que não pode, eu não deixo.
Então tava tudo muito divertido e eu só implorando “podemos ir agora? podemos ir agora?” e o povo da universidade lá se confraternizando – vou te contar, filósofo é uma raça fofoqueira, viu, não consegue se despedir. Daí no caminho pra ir embora encontramos um antigo conhecido, da área lá deles também, que estava com um cara altão e cara de metido tomando frisante. Papo vai, papo vem, o Marido e o Conhecido vêem outro cara lá longe e me largam com o Altão Metido! Que eu nunca tinha visto mais gordo. Ou mais bêbado. Um gambá. Eu tinha acabado de contar pro Conhecido que estávamos indo embora pra ver as fotos de Paris do meu amigo... o Metido engata a conversa com um “Adoro Paris”. Ai ai. Acredita? Ter um marido tão distraído que me larga com um bêbado de papo clichê? Eu mereço.

Bem, 24 horas de Les Mans depois, chegamos ao tal Café da vernissage do sócio. Eu até estava com fome, mas o bar é daqueles que tem pratos com nomes inspirados, tipo “A Divina Comédia” ou “Moby Dick”. E eu gosto de escolher pratos auto-explicativos, tipo “Peixe com Legumes”. Te juro, vou nessas sorveterias premiadas com mil sabores e peço sempre uma bola de flocos e uma de morango. E isso não tem nada a ver com a minha personalidade ousada e aventureira.

Chegando lá encontrei um grupinho animado dos tempos da faculdade. Algumas pessoas envelhecidas, outras rejuvenescidas, outras que não mudaram nada. E eu estou no time das envelhecidas, por isso não me ache má em falar assim. Estou melhor, mas as rugas são dispensáveis. O lado bom é que não ficamos falando só do passado.

Na vernissage ontem, reencontrei colegas da faculdade. Na hora da foto, o sócio desligado grita: 10 ANOS! E um povo: Dãr, são 15 anos!...
9:15 AM Aug 28th
from webv

...E só depois da foto a conta óbvia foi feita: São 20 anos já.
9:16 AM Aug
28th from web


Aliás, as fotos estão lindas. A Nina foi informada que iria dormir na vovó porque íamos ver as fotos do tio Gui num bar onde criança não entra.

- Fotos do quê?
- De Paris.
- O tio Gui foi pra Paris?
- Foi.
- *suspiro* Será que outro dia ele me conta histórias de Paris?

Paris, pra Nina, já é a Capital Romântica onde Anastácia encontra o amor. Dimitri, pra quem não assistiu o desenho da Disney.

Outra tuitada recente:


Deu loucurinha de cortar o cabelo.
10:03 AM Aug 28th from web

Atorei o cabelo. Nos dois sentidos.
14:00


A foto do cabelo novo taí no perfil. Thanks, Nilus Queri. Claro que tá lindo ali porque rolou uma escova depois do corte, agora tá aquela coisa arrepiada. Cortei uns dois palmos de cabelo porque já estava parecendo a Escrava Isaura, sabe, só de coquinho. Envelhece. Falar nisso, entrei no inferno astral, hein.

Por favor, @OCriador, manda um raio no próximo q disser "por conta de", "chegamos a um denominador" e "vamos otimizar"? Plis?
3:22 PM Aug 27th from
web

Domingo dei um notebook de presente de aniversário pra minha mãe. Só porque ela merece. Daí fui instalar MSN e Skype e fiz um monte de merda, tive que mandar pro técnico. Resultado, ela ganhou mas não está com ele. Idiota – eu, claro. Bem, bem. O fato é que minha própria mãe pediu o endereço do blog. Ou seja. Não dá pra fazer blog com mãe lendo, saca? Acho que logo vai rolar um endereço tipo proibidão, e esse aqui fica pra coisas mais família.

Quer bater um papo? Clica aí do lado. Follow me. ;)
Update: A Su me alertou que em português é "o vernissage" ou "a vernissagem". Mas a minha vernissage é em francês, tsá? Por isso eu italizo. Na verdade é teima. ;)

8 comentários:

asnalfa disse...

Passa o endereço antigo do seu blog pra sua mae. Nao passa esse aqui nao.
Adorei o bebelo! Arrazou no picumã!
Bjos!

Bia Badaud disse...

"E eu gosto de escolher pratos auto-explicativos, tipo “Peixe com Legumes”. "

:-D

Não existe a menor possibilidade de eu achar mais legal o tuíter do que isso aqui. Menor.

Quanto à frequencia dos posts, quem está com pressa??

Mariana disse...

E seres prolixo como eu...sem chances de twitar (escreve eh assim?).

O cabelo ficou bonito! :)

Patricia Scarpin disse...

Você não pode ver, mas estou te mostrando a língua.

Suzana Elvas disse...

Eu tenho twitter, mas não acho graça nele. Porque se você não lê e se segue um monte de gente o que o povo escreveu acaba se perdendo. Como numa sala lotada de gente. Você pesca frases aqui e ali mas o pensamento inteiro vai pro buraco.

guilherme pupo disse...

Sócia, só li hoje o post da ou do vernissage, adorei os comentários, daqui a pouco te passo as fotos dos "10 anos"!!

beijocas

lola aronovich disse...

Acho tão chato quando o pessoal fica decretando o fim dos blogs... Pô, o meu continua a todo vapor (por enquanto), com um post por dia, e pra mim ainda é tudo novidade. Só entrei nesse mundo em janeiro do ano passado. Claro, como sempre, a última a entrar! E é só eu entrar que os blogs acabaram! Olhando por esse ângulo, acho que vc deveria começar uma campanha pra IMPEDIR que eu entre no Twitter (não que eu tenha a menor vontade de entrar). Porque é só eu entrar que vão decretar a morte do Twitter.
Mas falando sério, não consigo gostar desse troço de 140 caracteres...

Jôka P. disse...

Tina, a minha mãe lê o meu blog. De vez em quando tenta até censurar. Mãe é mãe. Você sabe bem o que é isso.