sábado, 16 de outubro de 2010

Laika é a cadela que foi pro espaço

Um post crente que faz sentido

Quando foi que o fundamentalismo tomou conta, que eu não tava prestando atenção?
Fico boba.
Outro dia, uma pessoa com arroubos de "deus te crie", "deus te ilumine" "jesus sei lá o quê" era acompanhada de olhares incomodados (get a church!) porque cada coisa, sabe, tinha seu lugar. E de uma hora pra outra a religiosidade tomou conta. Hoje em dia todo mundo tem um conhecido que está estudando pra ser pastor. Eu tenho. Joalherias expõem corações de Cristo, escapulários, pombas que aparentemente são símbolos de algo espiritual que me escapa.
Ou era eu quem não prestava atenção?
Nunca fui de impor meu ateísmo, ou de me achar superior por isso. Acho que me falta um neurônio, um hormônio, sei lá, da crença em algo blablabla, que não me faz falta. Assim, bem por cimão, sou uma existencialista e nisso me basto.

Então fico muito surpresa quando acontece uma cena como a da última segunda-feira, na academia de natação da Nina, onde eu faço musculação enquanto ela nada (justamente pra escapar do papo maternal do "aquário"). As duas televisões mostravam o resgate dos mineiros chilenos. Uma mãe, de calça jeans apertadíssima (mãe gostosa), cabelão loiro mechado comprido, liga pra alguém de seu celular fino e moderno.
- Fulana, você tá vendo o resgate? Tá vendo que é SÓ POR DEUS? Que a fé remove montanhas? A FÉ REMOVE, amiga (riso meio histérico). Eu te falo que é isso que acontece, é Deus trabalhando. A fé (...)

Lógico que dá a vontade de bancar a escrotinha, bater no ombro da moça e falar - mas ele moveu a montanha em cima da saída primeiro!

***

Fato é que não se trata de caso isolado. E aí chego no papo da campanha política pela presidência, que virou um desfile de gente rezando e fazendo carta pra agradar ao Bispo, ao eleitorado evangélico. O que me lembra o preconceito contra os umbandistas, aliás - mais difícil que um presidente gay assumido, só um presidente pai-de-santo.

Daí que eu sou dilmista, voto na Dilma, sem grandes lances de entusiasmo porque realmente preferia votar na Marta. Cá entre nós, acho a Dilma bacana, mas não voto em mulher só por ser mulher, também não é porque foi a escolhida do Lula que vou considerá-la a melhor pessoa/política do mundo ocidental. Posso até votar, mas não perco a mania de achar defeito. Ela é ruim de debate e de palanque; está claramente fora de seu ambiente. Isso também não é grande problema. Mas só não digo que tenho minhas dúvidas sobre ser a melhor opção pra presidente porque1) ela vai dar continuidade ao melhor governo que o país já teve e 2) do outro lado temos o senhor Burns. Então admito aqui, e pode ser que leve unfollows no twitter e tudo: não sou militante, não tento convencer ninguém a nada, respeito a democracia e a possibilidade de a sociedade, se assim entender, escolher o pior - na minha humilde opinião.

Dito isso, no entanto, não sou mais a repórter que se esforça em ser neutra e voto na moça. Quero só deixar claro meu desgosto pelo fato de a campanha ter se rendido ao jogo sórdido do adversário, descendo ao ridículo de escrever cartinha se comprometendo a cumprir aquilo que diz a Constituição, que é o respeito às religiões, num texto cifrado e ambíguo, criado na medida para agradar a crentes, militantes, gregos e troianos.

"Ah, Cristina, mas foi o jogo do inimigo, temos que entender". Não, eu não tenho que entender, só tenho a lamentar. Queria mesmo era que alguém batesse na mesa e dissesse - isso não é política, é sujeira, não me rendo. "Eu tenho o Lula, o Bolsa-Família, a economia sólida, o pioneirismo de ser a primeira mulher, X projetos pra tais e tais públicos, é isso que está em jogo". É demais pedir que não subestimem o eleitor? Taí o Datafolha, informando que a guinada religiosa não gerou voto pra nenhum dos lados. Só criou momentos constrangedores épicos para a história das campanhas eleitorais.

Mas este é só um desabafo. Alteraram a ordem do dia e eu demorei pra perceber.

11 comentários:

Jan disse...

ex-ce-len-te. concordo e assino embaixo.

Caminhante disse...

concordo e assino embaixo. [2]

Eu ouço muito papo crente no ônibus. Na época do Tsunami, ouvi muita gente dizer que atacou o oriente porque são "nações sem cristo". Olha, me deu tanta vontade de dar uma onda dessas aqui no Brasil, só pra calar a boca dessa gente...

Rita disse...

Tina

você sabe que estou na onda meio militante mesmo porque tenho medo de o Serra ganhar e isso virar "a treva" de vez.

Fora isso, se eu pudesse, passaria a te seguir duplamente. Concordo e sinto um enorme desgosto pela falta de noção da campanha e da própria Dilma em não chamar "na responsa' e dizer que não veio à cena pra brincar de agradar. Resta o consolo de o teor não ter sido tão patético quanto temíamos.

No mais, podes me informar porque o Natal tá parecendo mais próximo do que o fim do mês?

Bj
Rita

asnalfa disse...

Adorei esse texto.
É por isso que sou louco pra casar com gringo europeu e sair dessa pocilga de Merdil.
Bjos.

Ronise Vilela disse...

Independente de dilmas e serras e da concentração de agrados religiosos da macumba, nossa senhora aparecida e chico xavier - o debate político tá fraco!
Ai que reside a grande responsabildiade das eleições. A nossa! São discussões de cunho para legislador. Eu quero presidente dizendo "vamos evoluir na educação, vamos melhorar a polícia, vamos ter o melhor sistema de saúde do mundo, custe o que custar". O PT achou que a tucanalha não iria apelar no segundo turno. Esqueceu que eleição é vale tudo e pelo poder, qualquer arma é aceita!

Ivan disse...

posso até não concordar quanto ao "melhor governo da historia", mas concordo com tudo mais o resto. o que mais me enoja é ver um cara que tinha até uma história respeitavel, de esquerda, exilado e tal, fazer esse tipo de jogo. se fosse o collor ou o acm ou maluf até dava pra entender. até o fhc já ta de estomago revirado, segundo consta. quanto a dilma se render, não surpreende pra uma candidata que se deixou transformar em um personagem que mais parece um robo.

Raiza disse...

"Lógico que dá a vontade de bancar a escrotinha, bater no ombro da moça e falar - mas ele moveu a montanha em cima da saída primeiro!" ahauahauahauahau genial!
Eu também não percebi essa guinada religiosa acontecendo.parece que um dia eu acordei e todo mundo tinha virado crente.E,crente fanático,que acredita em tudo que o pastor reacionário fala e nem lê a porcaria da Bíblia.Essa é a prova de que,infelizmente as sociedades podem involuir.E acho que é daqui ladeira baixo.Queria ser otimista,mas sinceramente,tá dando não.Quando até quem tem bom senso acha razoável se curvar a isso,a gente vai esperar o quê?

Guilherme Augusto Codignolle Souza disse...

Um pouco diferente de vc, eu tenho a capacidade de ter fé em algo la em cima. É uma idéia um pouco menos forte de fé do q a maioria tem. Imagino por exemplo q deu tenha la os seus defeitos. Se ele ama alguem como eu acredito q ama, então definitivamente tem defeitos. A mim falta apenas o neuronio para ter fé em religiões... Não acredito na igreja e não encontrei ainda do alto dos meus simplórios dezenove anos uma religião q me convença... Mas tenho tempo ainda neh? ^^
No fim das contas, quando a hora chegar, não acho que o dizimo que vai fazr diferença então...

____________

Quanto a política é realmente complicado. Muito complicado... Não podemos desanimar ou ter fé, mas isso fica dificil quando temos que escolher entre as opções a "menos pior" possível. Não deixei d acreditar q mesmo sendo o melhor governo da história, não possa haver um ainda melhor, mas não consigo acreditar muito q um dos dois candidatos consiga fazr isso. Acho q vou seguir a orientação q o meu candidato fez na tarde dessa sexta feira...
(Se tiver curiosidade, essa eleição eu estava com o PSOL.)

Eu escrevi a respeito de eleição no meu blog, dos quatro posts q fiz, vc encontra links para tds no ultimo deles, após eleição. Caso tenha interesse:

http://codignolle.blogspot.com/2010/10/agora-e-oficial-o-circo-politico.html

Gostei daqui e estarei seguindo. Eu também tenho um blog, quando puder passa la e me segue também se gostar do que encontrar:

http://codignolle.blogspot.com

Meu Twitter (Se você tiver):

http://twitter.com/guicodignolle

o/

L. Archilla disse...

Tina, não sei se essa estabilidade das pesquisas não se deve ao fato da Dilma também ter se rendido à espiritualidade. Gostaria MUITO que todas essas questões religiosas ficassem totalmente de fora, como manda um estado verdadeiramente laico, mas se a oposição faz esse jogo, entre arriscar perder ou tentar a saída mais segura (que é escrever a carta a gregos e troianos, como vc bem colocou), eu apoio a segunda. Infelizmente. Minha decepção é com a Brasil ainda não estar maduro para separar as coisas, não com o PT em si.

Aliás, a religiosidade do brasileiro é uma coisa super esquizofrênica, né? Conheço pouquíssimas pessoas que abrem mão de hábitos em nome da religião, ou da espiritualidade. Mas na hora do aperto é Deus pra cá, milagre pra lá... sem falar na hora de cercear a liberdade do outro: aí o sujeito vira um beato fervoroso. Ai que preguiça...

Luz! disse...

Eu adorei TANTO esse texto, Tina.
Essa história da carta/acordo da Dilma me deixou triste demais...
vou divulgar lá no twitter, viu?

Beijo

cris disse...

Eu andava meio histérica, mas parece que agora já estou mais tranquila com a possibilidade de a sociedade - como você bem disse - escolher aquele que acho pior. Tendo baixado a guarda, vou lá, milito, faço a minha parte, mas não demonizo mais ninguém. Até porque pessoas de quem gosto muito vão votar no Serra, vou fazer o quê, deixar de falar com elas? É a vida. Se isso acontecer é porque o PT acumulou erros durante esses anos [apesar do governo excelente] e vai ter que prestar contas disso, vai ter que descer do salto e fazer auto-crítica. Enfin, é isso. Gostei muito do texto e arrisco dizer que também me surpreende e incomoda essa religiosidade que eu não sei de onde surgiu. Não polemizo com ninguém, mas também não escondo minhas posições, por exemplo, no trabalho. Quem não gostar que pare de falar comigo. Bjs, lindona. Amo quando chego aqui e dou de cara com um texto assim: bem escrito, bem amarrado, conciso e direto [e longo!! kkkkkk]. Touché, rs!