domingo, 9 de janeiro de 2011

Sempre teremos Paris




Quando o E. passou no mestrado de Filosofia e fomos morar no interior de São Paulo, vislumbramos a possibilidade de, com uma bolsa-sanduíche ou coisa que o valha, um dia, morar na França. Casaríamos para garantir o meu direito de ir junto e seríamos jovens e felizes cidadãos do mundo. Seria só o começo de uma longa vida de privações, álcool, cigarro, papo cabeça e glamour típico de filme... francês. Mas não foi o que aconteceu. A vida real nos atropelou e contingências, desde a redução das bolsas sob FHC a tragédias familiares, nos prenderam e finalmente, depois de muitas mudanças internas (quero dizer, no mapa e dentro de nós mesmos,) conseguimos chegar a uma rotina pacata, trabalhosa e enraizada de classe média-média brasileira. Casamos depois de 9 ou 10 anos  juntos (há controvérsia) para garantir os direitos a plano de saúde etc. e preparar a chegada Ninotchka, a Absoluta.
E Paris ficou lá, longe.
Só de birra, passei a desdenhar França e o resto do mundo. Se não era pra morar, então eu simplesmente não queria ser turista em lugar nenhum. Não estudei francês. Me desinteressei.
Todos os nossos esforços se voltaram para aquilo que, se não desprezávamos, tampouco era nosso objetivo 15, 20 anos antes: casa própria, conforto, segurança. Nossas férias sempre foram em direção ao sol,  até que um belo dia (agorinha), às vésperas dos 40 anos, E. decide se autopresentear com uma viagem rápida, que em princípio seria para o Rio de Janeiro, mudou para um paraíso no Caribe e finalmente foi acertada como um giro pelos destinos mais importantes da França e Itália.
E hoje estou aqui, a poucos dias de desembarcar no Charles De Gaulle, pleno inverno, com o coração apertado e já ansioso pra voltar pra minha gatinha, que fica com a vó por duas semanas inteiras. Mas não só pra ela - meus projetos para 2011, para uma vida que, se tudo der certo, pode ser um pouco diferente a partir de fevereiro.

Admito que em algum momento - no aeroporto, na subida clichê da torre Eiffel, no café de Simone e Sartre, quem sabe - eu vou chorar, sim, mas não se engane: não será por mim.

22 comentários:

Caminhante disse...

Sou boba de ter ficado com os olhos mareados. Por você e por mim, como se estivesse vivendo agora um pouco do que vocês viveram anos atrás. (essa referência só você entenderá)

Verônica disse...

eu posso tomar pra mim esse post? com a diferença de que ainda não estou com a minha viagem marcada. lembrei-me de uma comunidade chamada "eu tive um futuro promissor", mas hoje eu penso que nem sei qual é o meu futuro e nem o sabia antes. "o antes era como?" diria o Eduardo Galeano. fico imensamente feliz por você e por Mr. Lopes. e derramei uma lagriminha, não por mim.

Liliana disse...

DIVIRTA-SE!!!!!'
:D

Josianne Ritz disse...

Não tenha vergonha de chorar. Principalmente ser for por Paris. Chorei uma hora ao avistar de longe a Torre Eiffel. Boa viagem! Aproveite tudo e todos os cantos. Vocês merecem. Bjos

Janaina Degraf disse...

Eu corria antes do sol nascer, temperatura negativa, ninguém na rua, e Paris era só minha. Chorava metade do percurso, de saudade do filhote, mas muito feliz por estar lá.

Anônimo disse...

que novidade mais bacana de se ouvir, muito tocante, me emocionei. a "sua" Paris enfim vc vai poder andar pelas suas ruas, e o café de SImone e Satre vc vai conhecer. lindo texto TIna, boa viagem.
bjinhos
madoka

Lálika S. disse...

Confirmei essa semana que de todas as janelas de Paris se enxerga a Torre Eiffel. Aproveita, essa tbém é a minha viagem dos sonhos! =D

Mari Biddle disse...

Hum...eu perdi aquele post e tenho a leve impressão de que sem ele não vou entender o amarramento desse texto. Como se isso fosse da minha conta, né. Eu estou saindo uma fofoqueira.

Vai ser lindo! Vai dar tudo certo e a macumba virtual que fiz para certos funcionários, ixe, tá no ponto.

Beijos!

Bárbara Dayrell disse...

Que lindo post!!!
Aproveite a viagem, passeie muito, curta muito o maridinho, a cidade, beba bastante vinho, coma bastante, sinta os cheiros dos lugares novos e se deixe surpreender por um lugar tao mágico!!!
E depois ponhas umas fotinhas aqui pra gente ver!

MegMarques disse...

Vai, vai, vai! Chore muito ao tocar as pedras da Notre Dame, trema de emoção aos pés da Vitória de Samotrácia, faça carão blasé existencialista ao tomar um café sob os arcos da Tivoli, tome ares de expert ao observar os modernismos incompreensíveis do George Pompidou, banque a deslumbrada na Torre Eiffel, pague de rica nas lojas carésimas da rue Montaigne (mas não compre, viu? é dívida pro resto da vida), faça ceninha piego-romântica ao atravessar a Pont Neuf, curta uma ressaca de excelente vinho, coma baguetes fresquinhas compradas na rua, fume uns Gauloises, seja ABSURDAMENTE feliz!!!!!

Boa viagem, divirtam-se demais!

Sealvia disse...

Que legal, Tina!
Super me identifiquei com a história, apesar da minha ter diferenças. Em 2010 viajei pra Alemanha com uma sombra de culpa, que por sorte se desmanchou logo no aeroporto :)
Foi muito bom e pra você também será maravilhoso!
Uma coisa que eu adorei foi que os cenários dos meus sonhos (sonhos mesmo) mudaram na viagem. Meu cabelo mudou e minha pele também. Eu mudei. E acho que fiquei avarandada, sabe?
Boa viagem e aproveite cada segundo, cada gota, cada aroma.
Beijo,
Sil

Rita disse...

Boa viagem, querida. Já está dando certo, né? Se é pra ser cliché, coma um croissant por mim, pode ser?

Beijo grande, aproveitem e não deixem de incluir beijos cinematográficos sobre pontes.

Au revoir!
Rita

O cozinheiro solitário disse...

Olá a todos os que vão ler este comentário neste blogue ou noutro muito bom como este. Pois é, estou encantado com todos estes posts bem feitos, quase que desenhados. Pois, eu gostava de fazer igual, mas não consigo. O meu dilema agora é cozinhar… A vida é dura e obrigou-me a morar sozinho, e a cozinha não é de todo o meu local favorito. Mas estou a tentar conhecê-la, mas as aventuras têm sido imensas. Fiz um blog humilde para colocá-las em forma de crónica pouco extensas. Gostava muito que todos vocês o visitassem e se possível o seguissem. É que tentar cozinhar e depois não ser ajudado, é algo muita mau.
Cumprimentos a todos!

http://tenhosalfaltamecolher.blogspot.com/

nilus queri disse...

cri, apesar de ter chegado há dois dias de um "paraíso no caribe" (los roques, depois te conto), eita inveja (porque viajar pra mim é vício, num dianta): paris, roma, florença, veneza...tudo foda demais! e não canso de dizer: se for pra veneza, não esqueça do tiepolo (virou minha obsessão lá)!!! pouca gente dá bola, mas é meu favorito.

Elis disse...

A viagem vai ser otima! " Antes tarde, do que nunca ", ne? Nao se surpreenda se vc nao achar Paris grande coisa tambem. As vezes, a gente cria expectativa demais e, ao longo dos anos, vai montando o nosso castelo e, no fim, quando a gente ve, o castelo era so uma casinha. Mas, era " nossa " casinha. Vale demais!!
Ja tive em Paris. Nao vou dizer q era meu sonho estar la, mas valeu muito a pena! O q importou mesmo foi poder dividir essa experiencia com aqueles que eu tanto amo.
Boa sorte!

Claudia disse...

ai, que de-lí-cia! Acho que vc só vai ler isso depois de voltar... mas mesmo assim, boa viagem!! Coma muito croissant e gaufre com nutella!!! huuummmmm.
Bjos

Cinthya Rachel disse...

pode chorar. eu quase chorei. acho q só dá torre tenho umas 50 fotos, fui de dia, fui de noite, com sol, com chuva. tudo é lindo, as vitrines são lindas, os postes são lindos, as nuvens são lindas, a aeromoça é linda... ah, paris...

chaverdecomlimao disse...

Aproveita muito a viagem, Tina! O post é lindo e digno de ser lido e relido várias vezes... Estou ansiosa pelo post sobre a viagem, que deverá ser maravilhoso!
Beijos!!!

Carine disse...

Boa viagem e volte logo para escrever um pouco sobre Paris. Lindo post...

Jan disse...

Torcendo para q a viagem esteja sendo ótima, Tina!

Suzi disse...

Que lindo! Espero ansiosamente pelos posts!
beijos!

Marjorie disse...

Porra, Tina, meus olhos ficaram marejados com esse post. Entrei aqui para ler o sobre a viagem(ai, que saudade de Paris! Também sonhava desde pequena e fui num esquema mega sem grana, com dinheiro suado de estagiária que contava até os centavos que gastava para realizar o tal sonho) e acabei me encantando mais com esse, que não tinha lido ainda. Que bom que você se divertiu! Que volte mais vezes! Bjs