sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Ainda lá, onde mora o capeta: detalhes

Uma coisa que me ensinaram na primeira viagem à Europa: o lixo de banheiro vai pra privada. O cesto de lixo é pra absorventes, tubos de pasta de dentes, cotonetes, plásticos etc. O que você usa vai embora com a descarga. Não é libertador, isso? Eu adoro. Ok, eu sei que a maioria das pessoas que moram em prédios modernos tem encanamento com descarga forte o suficiente pra jogar sua sujeira no ralo. Mas eu moro em casa, a gente mal tem pressão pra um bom banho. Se jogar papel higiênico na privada, ela entope. Então o primeiro susto de terceiro mundo que a gente tem ao voltar ao Brasil é entrar num dos (imundos) banheiros de aeroportos (no meu caso, Galeão, sempre) e topar com aqueles cestos gigantes de lixo de bunda transbordando, quase encostando em você. É, que nojo, eu sei. Prova de que na maior parte do nosso país a cultura é de ter lixo de banheiro, mesmo.

Isso me remete, rapidamente, à discussão da sacolinha plástica que foi proibida em mercados de São Paulo. Nos países que visitei, elas são cobradas - bem baratinho - e o cliente tem que pedir. Mas como vamos fazer com o lixo do banheiro? Tem que comprar saco de lixo pequeno pro banheiro. Porque nossas privadas entopem. Afe.

Aí tem o outro lado: como tem pouco banheiro público em locais de alta circulação, na Europa! Claro, existem banheiros públicos, nas principais ruas - não os usei mas são baratinhos também, e dizem que muito limpos. Mas vc está num super museu ou num shopping gigantesco e precisa enfrentar fila pra fazer um xixizinho porque só tem um banheiro com 8 portinhas. Fila de 15 minutos, eu peguei. Quase fiz xixi nas calças. Metrô, nem se fala. Por isso acabei tomando menos líquidos do que deveria. Água, quero dizer.



Vá ao banheiro antes de enfrentar o Louvre!

9 comentários:

Camila disse...

Tina, privada só entope se a quantidade de papel for grande. Se coisas mais pesadas que papel vão embora cano abaixo sem entupir, não vai ser esse papel higiênico fininho (folha dupla), que vai parar no meio do cano. Papel higiênico alemão costuma ser folha tripla ou quádrupla, sabia?

E dá pra fazer uma espécie de origami com jornal, pra forrar a latinha de lixo do banheiro ou da cozinha...

Caminhante disse...

Folha quadrupla? Gamei o papel higiênico alemão. Fila de 15 é ruim, hein? Senti dor na bexiga só de pensar.

Aqui em casa tbm não dá pra não jogar no lixo. Achei genial a conexão que você fez do lixo, da privada e a sacolinha plástica.

caso.me.esquecam disse...

aqui na fr os banheiros publicos sao de graca! em lyon e em paris, ao menos, muitos foram trocados. sao todos limpinhos. mas a pessoa tem que esperar a porta fechar, o banheiro ser limpo e soh depois voce usa. e... caralho, esse tempinho eh suficiente pra que voce tenha vontade de mijar nas calças... nao que eu esteja reclamando :)

Rita disse...

Aqui em casa o papel vai pro vaso. A Amanda aprendeu na escola que não pode, então rolou um conflito na cabeça dela, mas ta mais relaxada agora.

O banheiro do Louvre é ridículo! Peguei essa mesma fila aí. Ainda bem que meus filhos não pediram pra usar. São uns anjinhos. :-)

Bj
Rita

banzai disse...

...é essa sensação mesmo Tina: libertação!!! Países com anos luz a frente nesse quesito tem até álcool pra desinfetar o tampo da privada, é mole?
bjs
madoka

Luciana Nepomuceno disse...

Eu não presto, o post todo lindo, inteligente, articulado como a Caminhante apontou...e eu tô aqui rindo do "Por isso acabei tomando menos líquidos do que deveria. Água, quero dizer."...

beijo

Patricia Scarpin disse...

Na região de Champagne (e no Vaticano tb) tem aqueles banheiros que são um buraco no chão. Agonia. Quase fiz xixi nas calças até achar um que tinha privada mesmo. :S

Anônimo disse...

Eu aprendi essa numa campanha, jogar o papel na privada ainda por cima é melhor para o meio ambiente. Era um desenho animado, bem fofinho. E é tão melhor, não precisa trocar o lixinho todo dia e não cheira mal.
Simone

Renata de Oliveira disse...

Antes mesmo de ler o comentário da Lu, eu já estava rindo aqui comigo do fato de beber menos líquido (água) do que deveria...
Vou seguir seu conselho qdo for ao Louvre, tks!
E o tal origami de jornal funciona, só que não sei explicar como faz...
Bjs, lindona!