domingo, 22 de janeiro de 2012

Pra começar

Voltei de quase vinte dias de viagem e sim, farei daqueles posts gigantes e cheios de obviedades, então vem comigo pra gente rir juntos. Mas pra começar, devo narrar um pouco da viagem de ida, Curitiba-Rio, a bordo de avião da famosa empresa aérea brasileira a qual chamaremos aqui de TUM (olha a responsabilidade jurídica). Eu estava indo ao encontro do Mr. Lopes, que já estava há um mês em Paris, fazendo seu curso de línguas, entre outras obrigações (controle de qualidade de vinhos nacionais, por exemplo), com mais dois amigos. Atrás de mim, executivo conversa com sua sócia sobre outro sócio, avaliando todas as ações da empresa e dos funcionários como "show de bola".

Amigo 1 - Esse avião tá fedendo.
Amigo 2 - Fedendo queimado.
Eu - Será o lanche?

[ Segue a viagem, o cheiro de queimado piora, mas o comandante anuncia o início da descida. De repente, as luzes do avião se apagam, completamente: até as das asas. Aeromoças, desesperadas, correm até a frente, mexem no painel, que passa a ser a única luz na escuridão da noite. Feito isso, elas se prendem aos cintos de segurança, sem falar nada. Climão pesado no avião, passageiros mal respiram. "Show de bola" cala a boca.] 

Amigo 1 - Gente, e agora, esse avião vai ficar assim?
Amigo 2 - Acho que a gente vai cair.
Eu - Calma, o avião nem tá caindo, tá planando, o comandante ainda deve ter controle.

[ Passam-se cerca de 20 minutos e nada de alguém falar alguma coisa. O cheiro de queimado diminui um pouco mas as luzes continuam apagadas ] 

Amigo 1 - Esse cheiro tá insuportável.
Amigo 2 - Isso não vai fazer bem pra quem tem rinite.
Eu - Bem, se o avião cair, não vai fazer bem pra quem não tem rinite também.

[ Crise histérica de riso. Os amigos rezam, por dentro. Eu só consigo pensar "tadinha da Nina, ficar órfã, que droga" ] 

Amigo 1 - Bem, pelo menos nossa morte vai ser notícia. Vão mostrar nossas fotos nos jornais, amanhã.
Eu - Vão dar a notícia no twitter logo em seguida, isso sim.

[ Quarenta minutos depois de terem apagado, aproximadamente (não dava pra ver o relógio) as luzes - só as  de emergência - acendem. As aeromoças não se mexem. Ninguém fala nada, só cochicha. ]

Amigo 2 - Vocês repararam que só as luzes de emergência acenderam? 
Amigo 1 - Ai, eu devia ter lido aquele manual de pouso de emergência.

[O avião começa a descer. Faz um pouso meio torto. Pára. ] 

Amigo 1 (olhando pela janela) - Pô, não tem nem ambulância esperando o pouso.

[Portas se abrem, entram correndo na cabine do piloto dois funcionários da TUM, daqueles das áreas técnicas, de maletas e equipamentos à mão. Aeromoças somem, não se despedem dos passageiros, que saem em silêncio e rapidamente. Outros funcionários aguardam do lado de fora do avião. Silêncio. Alívio de sair. ] 


Chegamos sãos e salvos, confiando que depois dessa, a travessia do Atlântico seria tranquila. E foi.

12 comentários:

Juliana disse...

altas aventuras! #not

Caminhante disse...

Geeente o.O

cronicasurbanas disse...

Acho que essas aeromoças devem ter sido colegas de treinamento do comandante Schettino, do navio Costa Concordia...
Mônica

Iury Bueno disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
banzai disse...

já não se fazem mais aeromoças e comandantes como antigamente no mundo todo pelamordedus. E que tranquilidade a sua e ainda conversando com os executivos?
madoka

Luciana Nepomuceno disse...

Uia, mesmo sabendo o fim da história (afinal, taqui o post, né) fiquei com o coração na mão.

Aguardo os posts imensos com obviedades - mas sem tensão, please.

Rita disse...

Affff....... credo.

Graziela disse...

Juro pela vida da minha mae, que se isso acontece comigo, eu tenho um troco (com cedilha, please!).
Que medo master!
Viajo de aviao porque muitas vezes nao tem outro jeito, mas se puder, prefiro mil vezes trem.
Estou adorando acompanhar sua viagem...
Abracos
Gra

Lisa Randone disse...

Ai, mas que medo que me deu no meio do post e, que alívio no final!!
Eu não sabia se ria ou se ficava séria, mas me imaginei tendo uma crise histérica dentro desse voo.
:~~

deniseescreve disse...

vc anda muito chique, Tina Lopes!

caso.me.esquecam disse...

eu teria ficado com o cu na mao, digo logo.

Mari Biddle disse...

Senhora da Abadia, se isso acontece comigo, nunca mais na história deste país terei aquele entupimento básico que me acompanha desde a adolescencia. Não vai precisar nem de espuma na pista do porto - eu já terei derretido na decolagem desse trem!

Cruis!