segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Em duas palavras: Karen Carpenter

Angelina, aliás, tá perfeita pra interpretar "Precisamos Falar sobre Ana".

6 comentários:

Caminhante disse...

Olha que o veludo (veludo?) ainda avolumou um pouco as formas.

@liginha disse...

É o osso da asinha de frango, poor babe.

Mari Biddle disse...

Why? Why? Why?

Ainda estou meio chatIada com a cerimonia de ontem a noite - mais bléh, chata, ever. E depois veio aquele sentimento de que elas estavam vestidas com a mesma roupa - a magreza excessiva. As mais famosas, na faixa dos 30 aos 40 anos, estavam dando fadiga em quem olhava ( eu e marido). Daí eu nem sei se é legal ficar falando 'olha, ela tá magra demais etc' pq aí fico naquela incerteza de - será que estou querendo controlar o corpo das mulheres tal qual todo mundo anda fazendo, oprimindo etc e talz'? E se ela estivesse acima do peso dos padrões de Róliúde? Estaríamos decendo o malho também? Provavelmente. Mas olha, como tu colocou no post - a gente precisa falar sobre Ana. Precisamos pq hoje tem um monte de meninas ao redor do mundo todo copiando isso aí - ora,' é muito lindo, muito it, muito tudo de bom ser magra desse jeito '.

Não sei como a Melissa McCarthy dá conta de sobreviver nesse mundinho.

Tina Lopes disse...

Eu acho legal, Mari, ficar falando sim, porque essas deusas são os modelos, são o padrão. Por essas e outras que não deixo a Nina assistir, por exemplo, America's Next Top Model (que eu adoro). E ontem tinha as (só) duas gordinhas que foram - aparentemente - respeitadas nas transmissões, com comentários sobre os vestidos além do estilo, cor etc. Mas olha, também não sou pró-gordo-pride não.

Verônica disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Verônica disse...

eu tendo a concordar com a Mary Biddle, mas dessa vez, nem eu que não sou de comentar corpo de mulheres (a não ser que haja interesse da minha parte), não consegui não reparar na magreza excessiva. acendeu sinal de alerta Carpenter já.