quarta-feira, 22 de julho de 2009

Um show about nothing

Todo mundo que deixa o blog semi-abandonado diz que detesta fazê-lo, e no meu caso é verdade, mas gente. Ando tão sem assunto. Tuitando muito, acho que demais: talvez eu esteja desaprendendo a escrever com mais de 140 caracteres - o que vai me criar problemas profissionais, certamente. O caso é o seguinte. Nada de mais acontece. Bem, a família aqui anda apavorada com a gripe suína, vocês também? Eu não consigo. Não entrei em pânico ainda. No elevador as secretárias dos empresários (eles não, seres superiores não se apavoram em público) contam que não há mais máscaras e que um funcionário daquela empresa em que todo mundo é antipático, do décimo-e-poucos, está com suspeita do vírus. E ainda tenho que aguentar as piadas (do cunhado: "acho que estou com gripe suína, cada vez que eu espirro, eu peid*). Daí o marido quer que a Nina fique em casa durante o período de férias, apesar de a escola dela não fechar e ficar em modo-colônia-de-férias, isto é, só com festa e brincadeiras. Mas eu ainda tenho alguma moral e hoje ela vai porque tem festa da pantufa (vai de croc da Sininho, que foi cara). Iria pra casa da vó, mas convenhamos que avós são legais e tudo mas não dá pra passar a semana desenhando com giz de cera e vendo desenho de Barbie. A Nina sente falta do rock’n’roll dos amiguinhos.

Tenho perdido tempo na academia, também. Eu gosto da tal da endorfina. Além do spinning às segundas, quartas e sextas, musculação às terças e quintas. Detalhe que o-dei-o musculação. Além disso sou cheia de coisinhas que enlouquecem o instrutor. Por exemplo, não faço abdominais porque dói demais minhas costas. Eu sei, eu sei, tem que encostar o queixo no peito pra levantar, tem que isso e aquilo pra não machucar. Mas em algum momento da vida, talvez carregando pilha de Barsa na Biblioteca Pública, talvez empurrando caixa de cerveja na pani, detonei umas três vértebras bem na lombar e a coisa não vai. Daí o carinha quis me fazer experimentar abdominal em cima da bola gigante que é a moda agora. Tinha que esticar os pés e encostá-los na parede e me equilibrar, meio pela bunda, meio pelas costas, na bola. Mas meus pés, os dois, têm o osso do peito trincado. O professor (cof, cof) perguntou como eu fiz isso – Um carro passou pelos teus pés? Hahaha. Até podia. Mas um eu quebrei caindo de uma escada, estatelando o sanduíche natural que tinha comprado no posto, ainda na época de namoro com o digníssimo; o outro foi ano passado, né? Quando a Nina acordou gritando de madrugada, eu fui ver o que era e tóin, a perna estava dormindo e não acompanhou, dobrei o pé e crec.
E acabei inventando outra coisa. Como estou cansando do spinning (se ainda tivesse paisagem pra tanta pedalada – são uns 15km por aula) pensei em fazer boxe. Comentei hoje com o professor de spinning e voilá, ele é professor de Muay Thai. Então vamos fazer aula experimental no sábado.
Não, eu não sei onde quero chegar com tanto exercício. Braços da Madonna, quem sabe?

E já que estou contando vantagem, aí vai uma pra todo mundo mór-rer. Estava eu sentada lindamente (NOT) no salão, tingindo os cabelos, como o faço a cada 15 dias, quando entra um carinha com jeito de mestre-de-cerimônias de baile de debutantes. Foi cortar o cabelo com o meu cabelelê. O mestre ficou me olhando, de longe, e eu me concentrei na Caras porque gente, o jogador de futebol casando todo de branco é hipnotizante. Na hora que acabei, lavada e escovada, fui dar tchau pro cabelê que tava tratando do cabelo do moço. Ele me fala, olha, querida, esse moço aqui quer falar com você. Ok. Adivinha. O cara disse que é “caça-talentos” de uma agência de modelos e queria meu telefone porque – atenção nas palavras dele – “é difícil encontrar alguém com o seu tipo físico, COMUM, entre os 35 e 40, que pode fazer propaganda de Dia das Mães ou de promoção em shopping”. Sutil, o moço. Tão precisando de véia pra fazer papel de mãe de modelo, hahahaah. Eu até dei o telefone mas credo, né, já passei da idade – como qualquer mestre-de-cerimônia pode perceber.

E that´s all por enquanto, folks.

Fora isso teve aniversário da pisada do homem na Lua, as não-sobrancelhas voltaram à moda (eu, sempre na vanguarda), o Dag vai ter bebê e deve ser menina, meninas não alienadas como eu denunciam misoginia e machismo na rede (todo santo dia), o pai do Michael Jackson diz que nunca bateu nele – incrível que alguém queira ouvi-lo – eu aprendi a fazer as unhas, tirando toda a cutícula, mas não consigo ter tempo para pintá-las.

17 comentários:

Srta.T disse...

Juro que segurei meu pé enquanto lia vc contando do seu tombo noturo. Morro de afliçã! E se joga na modelagem, porque dá algum dinheiro (é o que dizem, pelo menos).

Tina Lopes disse...

Hahahaha, modelagem, vc não leu, doida? é de gente comum. Isso não é modelagem, é figuraçã. Ainda se pagasse bem. Se pagasse o conserto do telhado, eu fazia! Ah, frustração pela sua não-vinda. :P

asnalfa disse...

Jamais abandone o blog!! Poe a Nina numa agencia de modelos!! Ela é bonita, simpatica, carismatica. Que tal miss?? Vc vai me matar ne, vc deve odiar essas maes que fazem isso com os filhos....
Mas fale sobre seus filmes favoritos aqui no blog igual a Lola...
Bjos.

Tina Lopes disse...

Oi, Asnalfa, tudo bem? Ah, eu vou tentar não abandonar mais não, sinto falta danada, mas é que às vezes não tenho nada mesmo pra contar, ou o tempo me consome (drama queen). Vou escrever mais sobre filmes, sim, adoro esse assunto. Quanto à Nina, manemorrta ela vira modelo. Já me bastou a irmã paquita (hahahah, ela me mata). Bjk!

Bia Badaud disse...

Ah, não tire suas cutículas, elas são a proteção da saúde de suas mãos..... To com preguiça de lincar, mas, pergunte ao Google, ele vai confirmar. Tirar cutícula é uó, filha... afafavô!

Tina Lopes disse...

Mas Bia! Eu já parei de fumar, de beber (cerveja), parei com a devassidão (rs), só como integrais, faço exercícios, só me resta a cutícula! (nem vou contar da depilação)...

Anônimo disse...

vc é demais Tina da conta. Tô aqui deste outro lado do mundo dando risada :)))))
Meu, e vc ainda deu o seu tel. pro caça-talentos? rs e ainda diz que não tem nada pra contar. vc tinha que trabalhar como redatora sei lá do CQC, pânico?
Agora, eu vi tbém, o que vc achou heim do jogador casando todo de branco?
bjs
madoka
ps a cutícula, eu tô com a Bia, por quê imagina, iam criar a cutícula? tem um por quê dela estar aí, tem uma função ora.

Tina Lopes disse...

Madooooka vc é que precisa de um blog! Só pensei em vc ontem durante o eclipse. Ah, conta?

cris disse...

e esse texto todo é porque você não consegue escrever com mais de 140 caracteres, né? sei. rs. Tina, larga mão de ser besta. a graça do teu blog é essa, as coisas que você conta, *desse* jeito que você conta. eu amo, sou fã. [e, ó, pára com a devassidão, não, fia. afinal, isso que dá graça pra vida, né?] bjs!

Patricia Scarpin disse...

Eu devia te pirraçar, também, como você anda fazendo comigo, mas não consigo, gosto demais de ti pra vingancinhas (vou guardá-las para outras pessoas que estão merecendo mooooito). :D

Tina, eu me sinto um alien quando leio esses textos sobre misoginia em tudo, porque sinceramente não vejo mal em todas as coisas que são publicadas/anunciadas na TV; me sinto a última das mortais...

E quando você virar top model internacional me chama pra ser a sua assistente? ;)

Tina Lopes disse...

Ih, de novo parece que fiz post pra pedir elogios, ai que chata, desculpem-me. Cris, é mesmo.

Pati, vamos fundar o clube das alienadas, porque eu tenho uma preguiça imensa, geralmente até concordo, entendo, leio, mas nossa, não faz parte do meu show - não gosto de novela da Gloria Perez, sabe, conscientização? Então não entro nas polêmicas pq sempre tem alguém com argumentos melhores que os meus - e quando os dou, sou mal interpretada, então wtf. Quando eu virar top model vou obrigar todos os assistentes a me atender de cueca de couro e a ler Simone de Beauvoir. Menos você, claro, que vai ganhar milhões comigo. Bjk.

lola aronovich disse...

Ih, duas alienadas, vc e a Pati! A Pati eu perdoo, porque vc viu aqueles "cookies melhores que brownies" que ela faz? E ela os distribui assim, na maior, pra qualquer uma que chega lá no escri dela. Pati, querida, ainda estou esperando seu endereço!
Tá, brincadeiras à parte, sabe o que mais gosto do seu estilo de escrever, Tininha? É que vc escreve sem esforço, com leveza, num ritmo que flui, e de repente vc joga no meio algo muito engraçado (que, pelo menos a mim, me faz rir em voz alta), como o jogador de futebol vestido de branco, neste caso. Sempre tem algo assim nos seus posts. É sua marca registrada. E eu adoro.
Então, né, pelamor, deixa esse negócio de 140 caracteres pra lá.

Haline disse...

Oi Tina, saudade de twittar mais viu? O twitter nos aproxima tanto. Mas olha, considero bem diferentes: twitter e blog. Então não deixa de blogar não tá? Seus textos são muito engraçados e reais! Qto a academia, cara, eu detesto, mas to indo mesmo assim pq eu tava correndo na lagoa e isso me possibilita comer normalmente e eu AMO comer. Mas dai com o frio, eu não conseguia chegar até a lagoa e resolvi voltar pra academia ao menos nesses meses. Eu gosto mais de esportes do que de malhação. bjobjo

Haline disse...

ah, e eu adoraria o elogio lá do caça talentos. uma mulher normal. pq aquelas cheias de lipos e plásticas por todos os lados são anormais, fakes.

MegMarques disse...

TINA DO CÉU!!!!!

Um caça-talentos te descobriu assim do nada e vc vai esnobar a oportunidade??!!!
Faz isso não, vai lá e vê qual é!
Sei lá, pode ser uma janela para o infinito... você pode se tornar assim uma über-figurante e ganhar um troco mole, mole.

beijocas

Patricia Scarpin disse...

Lolaaaaaaa, eu faço cookies melhores que brownies pra ti e pra Tina, prometo! Com uma dose extra de amor, ainda por cima! Porque ler vocês faz os meus dias tão melhores que nem cookies melhores que brownies seriam capazes de agradecer corretamente!

lola aronovich disse...

Ah, que fofa, Pati! Odeio ter que ficar insistindo, mas por cookies melhores que brownies eu faço qualquer coisa! (eu quase estraguei meu computador babando em cima daquela foto que vc pôs).
Não, sério: imagino que pra uma cozinheira de mão cheia como vc, uma profissional mesmo, fazer uma receita deve ser quinze minutos na cozinha. Pra mim levaria dois dias e ainda não ficaria boa.
Vc e a Tina bem que podiam se unir e abrir um restaurante, né?
Abração, e obrigada pelo carinho.