quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Obrigada, 2009, vem nimim, 2010

Normalmente eu sou mal-humorada e tal, mas adoro Reveillon, apesar de nunca saber onde fica o acento.
Acredito firmemente que a vida seria muito pior se não fossem os feriados e as festas, mesmo que eu não compartilhe da fé (Natal/Páscoa) ou que deva trabalhar na primeira segunda-feira útil do ano.
Acho que nós, povo brasileiro, trabalhamos demais e folgamos de menos. Já que não temos salários dignos, façamos festas divertidas, pra esquecer temporariamente os problemas e as tristezas, que não são poucos.
Não chame de hipocrisia ter de se reunir com aqueles tios bêbados uma vez por ano; aguentar a cunhada chata ou a vó bigoduda. Não fossem as convenções sociais destas festas, nós nunca nos daríamos conta da nossa identidade familiar, de pertencer ao tal bando. Mesmo que seja pra ter mais certeza ainda de que deve se afastar. Pelo menos, certamente, sobram boas histórias.
Voltando ao Ano Novo: criar ciclos imaginários é próprio do ser humano, pra não ser esmagado pela rotina. Imagine o mundo sem encerramentos e recomeços, sem projetos para o próximo ano, sem que você se dê conta da passagem do tempo.
Na minha timeline do twitter muita gente reclama da festa e do fato de que no dia seguinte a vida volta ao normal. Da minha parte, gosto de um pouco de fantasia, de celebração, sem contar petiscos, comidas, conversas relaxadas por boas doses de vinho. Não gosto de começo de ano mas sou relativamente mais feliz até o Carnaval, nesse período de sol e de irresponsabilidades tropicais. Apesar de Curitiba ser sub-tropical.

2009 foi um ano que começou tropeçando mas acabou muito bem. Então na média foi um bom ano.

Hoje a Nina vai se vestir de branco - com florzinhas rosa. Não me sobrou dinheiro pra um vestido  novo e sobraram quilos, portanto não vou  de branco, mas as unhas serão pintadas de azul, porque à noite acontece uma rara lua azul - dizem ser bom sinal. O marido vai fazer um lombo porque porco fuça pra frente. Não entendo essa tradição porque afinal, porco chafurda na lama e na merda, mas fazer o quê. Minha mãe vai fazer madalena de bacalhau porque peixe nada pra frente (bota um tubarão na frente e aposto que eles dão ré).

Então é isso. Desejo a todos vocês que me acompanham tudo de bom: saúde e alegria em todo 2010. Ok, já desejo isso a todos de que gosto, o tempo todo. Mas essa é a data pra dizer isso. Imagine todo o mundo, bilhões de pessoas, ao mesmo tempo, desejando coisas boas. Não é emocionante? Eu acho.

Feliz Ano Novo.

7 comentários:

asnalfa disse...

Bom 2010 pra vc.
Hoje os porcos são mais limpinhos. Eles comem ração. E os peixes são criados em lagos artificiais. La no Nordeste. Tão fazendo isso até com camarao. Vi no Globo Rural.
Bjos!

Tatuscula disse...

Porcos e peixes fedem. Mesmo que o primeiro seja criado como um cãozinho doméstico e você troque a água do segundo semanalmente, eles vão cheirar mal SIM. Mas, enfim...

Que seu ano de 2010 seja bem cheirosinho, viu!!

Abração

Anônimo disse...

Tina,
você é demais, estar em sua companhia pelo blog foi um achado,imagine pessoalmente, vc é vip total.
tudo de bom, saúde e felicidades pra ti e família toda.
feliz ano novo
madoka

lola aronovich disse...

Tininha querida, um grande 2010 pra vc, um que comece bem e feche melhor ainda. Bom, pelo menos vc já começa o ano morando numa casa reformada, pintada da cor que vc gosta, e sem parede de pedra. Melhor que certa gente que ainda nem sabe onde vai estar morando no final do mês... Nem a cidade! Por minha causa, vou torcer pra que março chegue logo. Abração!

Tina Lopes disse...

Asnalfa, Tatuscuola (!), não me levem a sério! Eu só acho a tradição engraçada. Importa mais o que bebo no reveillon, hahaha.

Madoka, eu já tava com saudade! Obrigada, e desejo tudo de melhor pra vc e sua família. Em 2010 vc bem que podia começar um blog, né? Com fotos e tudo. Bjk!

Lola, obrigada! Vc sabe que estou na torcida por vc. Imagino a ansiedade: mas é das boas, de mudar pra melhor, podiscrê.

cris disse...

tina, esse teu texto também emociona. eu super acredito nos ciclos [estávamos eu e uns amigos nas areias de copa, esperando a meia noite, discutindo isso, sentados numa canga. ninguém havia bebido, xuro, rs]. a gente precisa de rituais, do contrário a vida parece tão estéril, né? mesmo com atraso, te desejo tudo de bom e pode continuar sendo mal-humorada, que a gente curte e volta é por isso mesmo. beijos e muita saúde pra todos vocês!

Rubão disse...

Também para si e para os seus!