quinta-feira, 21 de julho de 2011

Não é tão simples

Ah, o post abaixo, tão cheio de decisões.
Trabalhar em casa é muito bom. Bem, pra quem, como eu, ama ficar em casa. 
Mas é difícil. Quando comecei, achava que iria fazer exercícios todo dia - afinal, a ciclovia fica na rua de baixo e eu gosto de correr. Que nada. Nunca dá tempo. De manhã fico com Ninotchka e trabalho um pouco (porque os dois neurônios não acordam direito) e à tarde o trabalho encavala. Como é inverno, anoitece rápido e quem vai pra parque à noite é doido e tá procurando um maníaco pra chamar de seu.
Então há dois meses eu praticamente parei com os exercícios. Consequentemente, dei aquela engordadinha esperta. Mas não tinha percebido antes do casamento do sábado porque, quando você só vive em casa, não tira o moleton confortável. Isso quando não passa o dia de pijama. 
O trabalho remunerado se mistura ao trabalho de casa: cozinhar, arrumar, limpar. E dar atenção à família, às gatas, ao homem do gás que passa todo dia apertando a campainha.
E como o escritório - a mesa de jantar - não é adaptado às necessidades ergonômicas do trabalhador moderno, minhas costas estão arrebentadas, quase travando.
Sem contar a falta de iniciativa de fazer as coisas, simplesmente porque tá tão bom aqui tomando cafezinho e comendo um pão de minuto. Tipo, eu devia estar fazendo aquele telefonema importante mas estou aqui postando. Então o fato é que ainda procrastino, é um vício desgraçado, esse. Estou melhorando, mas ainda longe da disciplina pretendida. Quem souber como, por favor, me ensina.
Ah, e ainda tem aquela certeza de que na última hora o material sai, miraculosamente, da minha cabeça, dos dedos e até do entrevistado. Aquele gosto pelo risco do último minuto.
Mas não estou reclamando. Tá tudo ótimo, apesar disso tudo.

9 comentários:

Michele disse...

Ahhh, oi Tina...

Deixa eu ver...

* Ficar com a filha de manhã e só começar a pensar em trabalho à tarde? Check!
* Passar o dia de pijama e só tomar banho na hora de pegar a pessoinha na escola? Check!
* Ter uma preguiça desgraçada de começar a escrever? Check!
* Perceber que as comodidades da nossa própria casa atrapalham o andamento do trabalho? Check!

Se uma dica de alguém tão encrencada quanto você mesma servem, só o que posso te dizer é: saia de casa, pelo menos à tarde. Eu tento fazer isso, mesmo que não consiga sempre, porque me saboto, hahaha. Mas tento ir a um café ou para alguma biblioteca da USP. Porque em casa, com telefone e internet, o serviço não rende...

Bjs! Boa sorte!

deniseescreve disse...

Eu trabalhei 3 anos em casa e foi o melhor momento que tive profissionalmente! No começo não era fácil e eu ia todos os dias pro escritório-base da empresa. depois fui diminuindo o tempo até descobrir que podia sim, ficar só na minha casa. O importante é ter uma rotina, mesmo que nela inclua supermercado de tarde, colocar a roupa no varal ou preparar o almoço. Eu acordava, fazia um café, via emails e lia os jornais de manhã e no meio da manhã, fazia as ligações importantes. Tinha dias que não fazia nada disso e corria contra o tempo no seguinte, mas a verdade verdadeira é que a gente também procrastina no trabalho - mas como estamos bem vestidas, saímos de casa e temos chefes perto, tem outra imagem! hahahaha

Relaxa e vai se encontrando. Depois, vc percebe que faz todo o seu trabalho da semana em 2 dias... é tão bom!
;)
Boa sorte!

sabrina disse...

Ah, eu concluí que não posso ficar trabalhando em casa,porque eu perco a noção do tempo e o que era pra ser só uma coisinha de 10 minutos se transforma em 2 horas lendo coisas de site em site. O que pode ajudar é acordar mais cedo e começar mais cedo.

MegMarques disse...

HEHEHEHE, confesso que quando li o post anterior tão cheio de resoluções, te avaliei por mim e pensei comigo mesma: "Aham, Tina...senta lá"

Tina Lopes disse...

Oi, Michele, somos praticamente gêmeas, então. Boa dica, vou tentar dar sempre uma saidinha. SE não chover. ¬¬

Denise, você é uma das minhas inspiradoras de rolmops mesmo, sabia? Beijoca!

Sabrina, esse é o desafio maior, acordar cedo e conseguir lembrar qual meu nome antes das 10h.

MEG! Me pegou, danada ;)

Claudia disse...

Tina, estou exatamente na sua situação. Só que no meu caso, se não trabalho. não vendo e - rá - não ganho né? Modos que a lojinha vai bem, mas acho que podia ir melhor, porque eu estou meio atrapalhada com a vida doméstica e filha misturadas no trabalho...
bjos

chaverdecomlimao disse...

Flor, acho que o dia que você aceitar que é assim e que não tem que mudar, vai ser melhor! Não precisa ser disciplinada, organizada, concentrada. Você já é mara sendo como é! Não se coloque metas pra ficar se sentindo mal.
Eu sempre deixava tudo pra última hora... e sofria muito com isso. Era um sofrimento... porque mesmo sabendo que ia fazer na última hora, eu passada pensando "ainda não fiz, ainda não fiz"... como se eu fosse lá fazer.
Eu queria ficar d epijama o dia inteiro, de moletom. Coisa mais boa! Com a filha, as gatas... meu Deus! coisa bem bouuua!
Beijo!

Daniela do Carmo disse...

Sou tradutora freelancer há muitos anos, intercalando períodos dentro de escritório. Vivi a vida de freelancer de diversos momentos, até aprender a viver e hoje até gosto.
Por vários motivos, tô descumprindo minha própria dica de sair todo dia de manhã, pra dar uma volta, comprar o pão, ver gente e fazer exercício e só depois começar a trabalhar. Mas é a principal dica para combater aquela preguiça bonita que leva à procrastinação. O dia ganha uma outra cara. A outra é marcar encontros periódicos com outros seres humanos. Vale almoço com amigas, happy hour, jantar etc.
Mas a principal dica que me deram no início, dica de ouro mesmo, é arrumar uma cadeira confortável. A minha é uma Herman Miller, é cara e vale cada centavo. Só estou dando dica porque você perguntou.
Bjs!

Tina Lopes disse...

Posso ter adorado cada comentário e pegar um pouquinho de cada dica? Obrigada, meninas =)