sábado, 5 de novembro de 2011

Dia 5: Melhor Ator e Melhor Atriz




Eu me apaixonei por Leonardo di Caprio em 1993, com este filme: O Despertar de Um Homem (This Boy's Life). Ainda era naquele tempo em que qualquer coisa com o Robert De Niro era obrigatória. Ele já tinha 19 anos mas parecia um gurizinho de 14. No filme, ambientado nos anos 1950, sua mãe, solteira, carente (Ellen Barkin, adoro) casa com um conservador americano e vai morar no interior. Esse cara quer transformá-lo num "homem" e dá início ao que ele acredita que seja "aprendizado" e que acaba se tornando um jogo de poder e, finalmente, apenas violência. O menino fica amigo do único gay da escola, tenta fugir, quer morrer. É um filme triste e violento, e DiCaprio contracenou com De Niro de igual pra igual. Está fantástico. Logo em seguida, no mesmo ano, fez com perfeição e sem afetação o irmão com deficiência mental do Johnny Depp em "Sonhos de Aprendiz" (What's Eating Gilbert Grape), pelo qual foi indicado, pela primeira vez, ao Oscar de Ator Coadjuvante. Depois vieram os papéis dramáticos e ousados em Diários de Um Adolescente (Basketball Diaries) e Eclipse de Uma Paixão (Total Eclipse), em que ele faz um Rimbaud irretocável. Fiquei num mau humor danado quando o "meu ator", que eu estava criando desde tão novinho, se jogou nas produções pop como Romeu + Juliet, A Praia, Titanic, como se fosse um filho muito inteligente que decidiu virar modelo. "Estão te escolhendo pela beleza e não pelo potencial, Leo", era o que eu pensava. Mas a carinha de menino foi amadurecendo e ele voltou a apostar em papeis interessantes e desafiadores. E ainda por cima, virou um homem lindo. Pensei também, para este item, em Dustin Hoffman, mas a descontinuidade de sua carreira o prejudicou (hahaah), assim como Ewan McGregor, que poderia ser um novo James Stuart. Mas DiCaprio me parece um novo Marcelo Mastroianni: alguém que vive o cinema e que nasceu para ele.


Melhor Atriz


Já as atrizes não me levam ao cinema (esclarecendo: geralmente escolho os filmes pelo diretor mesmo). Mas Elizabeth Taylor, se tivesse sido minha "contemporânea", ou se não tivesse morrido e ainda aceitasse papéis, me levaria. Aliás, como eu gostaria de ver "Quem Tem Medo de Virginia Woolf" na tela grande. Sua Martha, que numa noite surge bêbada, sedutora, louca, sã, irônica, medrosa, violenta, carente, sexy, é genial. Há outros filmes maravilhosos - os melhores, com Richard Burton, claro - mas neste, fica permitido falar em perfeição.


7 comentários:

Verônica disse...

Pô, Tina.
Você roubou meu melhor ator também.
assim não pode.
=P

Luciana Nepomuceno disse...

Lindas escolhas. Mesmo. Sempre fico chateada com as injustiças que fazem ao De Caprio. Como se fosse só uma rosto bonito e eis o que ele menos é (embora seja também, um bocado). Ele é grande, mais ainda, dá grandeza aos seus papéis. E que linda dupla com Scorsese, pois não?

Já Liz, bom, Liz foi, provavelmente, a última grande diva. Tão linda quanto talentosa, amo perder-me em seus expressivos olhos que a tudo dão cor, mesmo quando se filma em P&B. E a Megera Domada é uma das minhas comédias preferidas de sempre.

Raiza disse...

A única atriz que realmente me leva ao cinema ( ou a locadora) é a Audrey Tautou.A mulher não faz UM filme ruim.Já viu "Bem me quer,mal me quer"? Je vous recommande vivement.É genial.

trombone com vara disse...

Que blog legal !!!!! Seu gosto se parece um pouco com o meu... Jerry Lewis, Liz Taylor, Scorsese, Woody e Clint.... Escreve bastante ! Adorei!

trombone com vara disse...

Leo é o ator mais ambicioso de hoje. De sua geração é de longe o melhor. Em toda a história do cinema o melhor é Mastroianni, mas meu favorito é Cary Grant.
Atriz de hoje... sei lá.... gosto da Keira Knightley, acho que ela tem um rico futuro; mas a melhor da história é Kate Hepburn ( e é minha favorita ). Liz Taylor em Quem Tem Medo, tem talvez a melhor interpretação que já vi.
PS: Vejam "O LEÃO NO INVERNO".

Rita disse...

Eu tinha falado pra Lu na sexta-feira que não blogaria no final de semana, ficaria offline. E disse pra ela que tudo bem, ninguém iria se surpreender mesmo, tão óbvio que meu ator favorito seria o DiCaprio. HAHAHAHAHA - a Verônica também, né!

Maravilhoso, competente, sem afetação, convincente em tudo que faz. Amo muito esse menino.

Beijos!

Rita

Augusto Arbustus disse...

Melhor Atriz: Se fosse para escolher com base numa única atuação eu ficaria com Gloria Swanson em "Sunset Boulevard" (registre-se: um dos melhores filmes noir que eu já vi) de Billy Wilder, pelo conjunto da obra fico com Liv Ullmann.

Melhor ator:Max Von Sidow, o cara que já jogou xadrez com a morte e tirou o diabo do corpo de Linda Blair merece o meu voto.