sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Dia 4: Melhor Diretor

Parada dura essa. É quase imoral ignorar Fellini. Woody Allen é meu pastor e nada me faltará. Clint Eastwood também é obrigatório. Mas já rendi homenagens demais a eles, aqui e no blog véio. Além disso, o tópico é "melhor diretor" e não "diretor favorito", então escolho um que se faz compreender por multidões, que leva a arte a todos os gêneros, com exceção de faroeste, se não me engano. Também faço questão de apontá-lo porque sempre ficou meio em segundo plano em relação aos seus contemporâneos - tanto que o Oscar demorou demais.

Martin Scorsese

"Own, coraçãozinho pra você também, Tina"


Alice Não Mora Mais Aqui (1974)

Taxi Driver (1976)

New York, New York (1977)

Touro Indomável (1980)

O Rei da Comédia (1983)

Depois de Horas (1985)

A Cor do Dinheiro (1986)

A Última Tentação de Cristo (1988)

Os Bons Companheiros (1990)

Cabo do Medo (1991)

A Época da Inocência (1993)

Cassino (1995)

Vivendo no Limite (1999)

Gangues de Nova York (2002)

O Aviador (2004)

Os Infiltrados (2006)

A Ilha do Medo (2010)



Convenhamos, é um tremendo currículo. O cara lançou gente como Robert De Niro e Jodie Foster. Desafiou a igreja e desmitificou a Máfia. Pior: levou Joe Pesci pra Máfia. Deu umas escorregadas nos projetos mais ambiciosos (principalmente, na minha modesta opinião, na chata fase com o chato Daniel Day Lewis). E foi na adaptação de um filme chinês que conseguiu o reconhecimento da Academia. Gosto também de Scorsese ser um tipo divertido - nervosinho, neurótico, cheio de histórias; dizem que o personagem de Dustin Hoffman em Dick Tracy, Mumbles, é uma imitação dele. E tem outro detalhe: Scorcese é rock'n'roll. Seus filmes são inesquecíveis por vários detalhes, às vezes até pelos defeitos, mas em especial pelas trilhas sonoras. Scorsese não tem o rigor moral de um Clint, a genialidade poética de Fellini, a "realeza" de Coppola nem a linearidade coerente de Woody Allen. Mas tem um pouco de tudo. Sinto-me feliz quando lança um novo filme. É isso.

De prêmio por lerem até aqui, uma pérola de um de meus filmes preferidos.

*Essa lista é dos filmes que eu assisti, não de toda obra - há alguns outros, poucos ;)



8 comentários:

Rita disse...

Yuuuhuuuuuu!! Bravo!!

Sem mais.

:-)

<3

Verônica disse...

e agora como faz? ele é meu escolhido pra melhor diretor também e eu não conseguirei escrever um texto sobre ele depois de ler o seu, que está muito bom e aponta tudo que eu acho de genial dele.
como faz, dona Cristina?

Tina Lopes disse...

Exageradas.

Deise Luz disse...

Eu amo loucamente Cabo do Medo <3


Tina, quero muito participar do meme. Eba!! =D E tô atrasada, né? vou ver se começo amanhã!

Caminhante disse...

Não fala mal do Dandan!!!!!!

Luciana Nepomuceno disse...

De tudo ao Scorsese serei atenta, antes e com tal zelo e sempre e tanto que mesmo em face do maior Wilder dele se encante mais meu pensamento. Ei de assisti-lo em cada bom momento e em seu louvor hei de incensar De Caprio ...

falta-me a poesia pra dizer que sim, sim, sim, Scorsese acerta muito. Acerta, ainda mais, descobri recentemente, falando dos filmes que os dirigindo, e daí já se depreende como fala bem. Escutando-o passa-se a gostar de filmes que ainda nem vimos. Um exemplo da paixão: http://www.youtube.com/watch?v=Qk7Svr7U_Zw&feature=player_embedded#!

Gostei tudo no seu post, mas o melhor foi a legenda na fotinha. Que fofo!

trombone com vara disse...

Dos vivos: Scorsese, Clint e Tarantino.
De todos os tempos: Kurosawa, Bergman, Hitchcock, Huston, Ford, Sidney Lumet, Hawks, Billy Wilder, Kubrick, Fellini, Visconti, Monicelli, Truffaut, Lang, Stanley Donen, Minelli, Ozu, Capra e mais uma centena de caras geniais....

Augusto Arbustus disse...

Nunca conseguiria escolher o meu filme preferido, mas quando se trata de escolher o meu diretor favorito, não titubeio, é Bergman na cabeça.