quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Dia 8: Filme Cebola (mais triste de todos)



O menino nunca vai ser menino. Nunca vai ser amado. A gente sabe disso desde o começo, mas ele mantém a esperança até o fim. E até o fim do fim. Continuo não chorando, mas acho esse filme triste demais. E é triste também que Stanley Kubrick tenha morrido e não tenha concluído o projeto junto com Steven Spielberg. O resultado seria diferente e, acredito, ainda melhor - apesar de ser uma história que tem muito mais a ver com a fixação na infância do Spielberg. Houve críticas de que é demorado demais. Não ligo: acho fantástica a visão de futuro até (spoiler) a extinção da raça humana . O guri Haley Joel Osment (onde foi parar?) está perfeito como um Pinóquio ultra-moderno. É uma ficção fantástica, que proporciona várias leituras - sobre amor, obsolescência, sobre "ser humano" e muitas mais. E me dá um nó na garganta, ao finalzinho, que olha. Quase choro.

PS: Gostaria de ler o conto que deu origem ao roteiro, de Brian Aldiss, chamado Supertoys Last All Summer Long.

12 comentários:

ludelfuego disse...

sabia que Haley Joel Osment não pisca durante o filme?

Tina Lopes disse...

Sim, legal né? E foi ideia dele. Genialzinho.

Juliana disse...

não consigo rever esse filme. me recuso. é puro desalento.

Nalu A*) disse...

Nossa, pra mim esse é filme mais triste também.Eu chorei mais em outros, mas esse é o que me deu mais tristeza.

Luciana Nepomuceno disse...

Esse é o primeiro ambiente em que eu posso dizer que chorei horrores com I.A. (fui ao cinema todos os dias de uma semana rever) e não me atiram pedras. Muita gente detona ofilme, mas eu só desgosto do epílogo (que, acho, não existe no conto nem no roteiro que o Kubrick ia realizar.

E o garoto é fenomenal. Gosto muito de Lições para toda a vida também (ai, curto tudo que ele faz).

Augusto disse...

O meu filme cebola é "o quarto do filho" de Nanni Moretti. Eu o vi em duas ocasiões - antes e depois de ser pai -, e nesta segunda foi triste, muito triste.
:-(

disse...

Tb chorei pacas. Mas pior que esse foi Pontes de Madison... sei la' porque, mas esse é o meu Top 1 Filme Cebola.

Rita disse...

Tocante demais, né. E a carinha dele... ai, jisuis. Todastorce para Osment virar um DiCaprio. Combinado? Muito amor pelo meu i see dead peoplezinho que já deve ser um i see dead peoplezão.

bj
Rita

Deise Luz disse...

Simplesmente me recuso a ver esse filme de novo. É muito sofrimento, gente.

trombone com vara disse...

Esse filme me deixou uma semana mal... ele olhando pra mãe e o tempo passando... puro masoquismo!!!! Mas não sei se é o mais choroso. Tem um monte que faz chorar igual. Vou falar do primeiro filme que me fez chorar ( aos 14 anos ) Houve Uma Vez Um Verão.

Caminhante disse...

Como legítima chorona que sou, EU PROTESTO! Você deveria ter deixado essa categoria em branco, por pura honestidade intelectual.

Nicolau disse...

É muito triste mesmo esse filme... Um desespero danado da esperança do menino, paradoxal que seja. E o Haley Osment está bem mesmo. Lições para toda a vida que a Luciana citou é muito legal, eu sou fã do Robert Duval e do Michael Cane.