domingo, 4 de dezembro de 2011

Obrigada, Doutor.

Esse era o pôster que eu tinha no meu quarto, ao lado do pôster do Michael Jackson

Vocês já sabem. Sócrates era meu ídolo desde criança, desde que surgiu, porque ser corinthiano é uma coisa que se pega por osmose. Não se é corinthiano porque em determinado momento era o time da moda, o mais ganhador, o campeão de tal e tal título. Meu pai era corinthiano roxo e eu herdei dele o amor pelo time que ora dava tantas alegrias, ora tantas tristezas. Somos "o primeiro bando de loucos de uma história repleta de paroxismos". Mas aí ele chegou e transformou o folclórico em subversivo, em desafio, em modernidade. Ser corinthiano, com todas as agruras, tornou-se um orgulho. E sempre vai ser. Nossa história é bonita. Valeu, Dr. Sócrates.


Democracia Corinthiana, o ponto alto do futebol brasileiro


"Corríamos como crianças. Tínhamos prazer em jogar, nos divertíamos e divertíamos nosso fiel público. Era um tesão. Tesão de viver e atuar com liberdade, porém com maior responsabilidade em relação ao nosso trabalho. Os resultados todos conhecem, mas o mais importante de tudo gerado por lá foi a maturidade adquirida por todos os companheiros. Muito diferente dos dias de hoje ou da própria história dos jogadores brasileiros." (Sócrates)

  
PS: Não posso deixar de lembrar que tanto meu pai quanto Sócrates morreram muito mais cedo do que deviam e mereciam, enfraquecidos por uma doença em comum, o alcoolismo. 

12 comentários:

Caminhante disse...

Tina, podia ter colocado aquela história de poster aqui. É interessante.

Tina Lopes disse...

hahahah tá aqui http://pergunteaopixel.blogspot.com/2009/06/michael.html

Não sei se tem vê disse...

isso aí, obrigada Doutor

ludelfuego disse...

esse comentario ai em cima é meu na conta da Bia =P

banzai disse...

Tina, vou roubar a fala do Sócrates (tudo bem?)e colocar no face, adoro o Sócrates, também sou corinthiana!! Morreu jovem demais.
bjoooos
madoka

Tina Lopes disse...

Ô Madoka, vc tem FB? Pô, vou te procurar.

banzai disse...

hihihihihi, estou lá sim, lerdíssima né? abri por esses dias, vê se pode? férias antecipadas uhuuu. vamos nos falando por lá.
bjoooo
madoka

Rubão disse...

Fiquei macambúzio o dia todo. Inda tô.

Luana disse...

Tine, tanto Sócrates quanto meu pai morreram muito antes do que deviam, tinham ambos a mesma idade, so que meu querido pai foi embora quase 3 anos antes...

So Corintiana por herança genética... Como voce mesma disse, nao se eh corintiana por motivos de fora...

Meu pia começou a carreira de jogador de basquete no Corinthians, time que meus tios jogaram futebol... Como nao amar?

Sofri profundamente com a morte de Sócrates...

caso.me.esqueçam disse...

nao eh com orgulho que eu digo que nunca ouvi falar nesse homem. mas cada coisa que vejo me surpreende. a primeira: deve ser o unico jogador de futebol que nao fala feito um idiota.

caso.me.esqueçam disse...

nao eh, peixe?

Patricia Scarpin disse...

Eu amo ser corinthiana, e uma das razões é porque se trata de uma das tantas coisas que herdei de minha mãe. Digo que sou corinthiana desde que estava no ventre dela. E morro de orgulho por tudo o que o nosso doutor fez.
Post lindo, Tina.
xx