domingo, 8 de julho de 2012

Com a idade

Com o avançar dos anos, certas coisas perdem totalmente o sentido. Motel, por exemplo. Vocês estão numa relação estável há anos. Não tem mais sentido sair de casa pra dar uma trepada, não é? Os filhos já não acordam de madrugada e deixam vocês sozinhos dias seguidos, passando as noites na casa dos primos. Tá, pode ser que queiram relembrar aquele gostinho de proibido, de perversão. Mas vocês têm um potinho de álcool gel no carro, pra qualquer emergência, pensam no quê quando vêem aquela banheira que deve ter sido usada pelo menos 3 vezes naquele dia? E por mais que o lacre informe que a limpeza foi feita, não tem o cheirinho de desinfetante do banheiro de casa, aquele sim bem esfregado. E o pentelho no ralo? Sempre tem um, submergindo. Melhor ir pra cama. O lençol é branquinho, maravilhoso, cheiroso, mas não é fino demais pra ficar por cima daquele colchão de onde podem ter acabado de sair os acorrentados e anões besuntados que tanto temia o Veríssimo? Ok, parece que está faltando uma certa selvageria nessa relação. Então liga a tv naquele pornozão hardcore e AFFFFF COMO É QUE PODE DESLIGA LOGO. Põe no rádio de uma vez, não na Jovem Pan que é broxante, deixa na emissora de música de elevador mesmo, sem vergonha de serem cafonas, ora, só não olhem muito pros espelhos no teto porque sabe como é, é inverno, a dieta ficou pra outra hora. Depois da cochilada, aquele ataque ao frigobar e o papo sobre a semana, como é que vai ser no trabalho, quem vai na reunião da escola... Na hora de sair, o desgosto com a conta - putz, com essa grana dava pra pagar o eletricista pra arrumar aquela luz da garagem.


15 comentários:

Caminhante disse...

Putz, disse tudo. É isso mesmo.

Deh disse...

Ri alto aqui (não é pouca coisa, creia-me), hein :D
Eu penso sempre na Dona Nenê, d'A Grande Família, calçando luvas e esfregando a banheira do motel, um dos grandes momentos mesmo. Se a gente for pensar é o horror, o horror mesmo. Mas sei lá. Tem o lance do barulho, mesmo com a casa vazia tem os vizinhos e parará (sim, sou moradora de apto.). Divago.

Renata P. disse...

Que post maravilhoso!

(e fico feliz por saber que não sou a única que usa o verbo trepar com esse sentido, assim, sem muito pudor) :P

Verônica disse...

não tenho mais idade nem estômago pra motel. quando muito quarto de hotel mesmo e quando estava separada e tinha meus encontrinhos furtivos. mas nada como minha cama e meus lençóis perfumadinhos.

Juliana disse...

Muito bom!

Luciana Nepomuceno disse...

eu sou uma pervertida mesmo, o post é todo ótimo mas eu fiquei aqui pensando: ah, como eu amo a Tina que sabe citar o meu Verissimo tão naturalemente

Renata Lins disse...

... posso dizer? Achei o post engraçado, bem escrito e tal mas... adoro motel. Mesmo. Gasto o dinheiro feliz. Só outra opinião. Porque parece que sou a única por aqui. Mas sou meio imatura, em um monte de sentidos. =)

Luana disse...

Genteeee! Mas eh a mais pura verdade! hahaha

banzai disse...

hahaha Tina, pára é a idade mesmo ahahahah (Brincadeirinha) deixa de ser chata, um pouco de emoção nessa vida faz bem. Vamos combinar é muita neura, potinho de álcool? faz favor, mania de limpeza? assim não dá, nem pra comer fora ahahaha só pra contrariar e descontrair porque né?
Madoka

Deborah Leão disse...

Rindo muito aqui, mas pensando como a Renata: acho motel bem divertido, principalmente quando não é a única opção disponível. Não me sinto nada à vontade para fazer barulho em casa, e mesmo alguma bagunça com comidas e bebidas, etc e tal. Pago motel quando não tô a fim de me preocupar com nada disso.

Quanto à banheira, abstraio. Vamos todos morrer, mesmo, etc e tal, e sabe-se lá quando vou ter grana pra morar numa casa com banheira própria.

MegMarques disse...

Maridão publicitário fez um freela há um tempo e ganhou como pagamento um voucher do cliente para testar os serviços anunciados: diária em motel. Fomos, fizemos, comemos, banhamos (sem faxina antes) e saímos pra nunca mais voltar.

Nada contra. Mas em casa é melhor.

Barulhos? Ah, deixa os vizinhos também gozarem!

Suzana Elvas disse...

Ninguém.merece.
:)

Anônimo disse...

eu como hoteleira gosto e atesto a higiene dos moteis, HAHAHAHAHHA

Ludelfuego

Cris disse...

Eu adoro a minha cama e meu quarto, mas amo variações. Gosto de motel; dos cafonas e daqueles com cara de hotel [no centro da cidade]. Concordo com a Deborah e a Renata: vamos todos morrer mesmo, eu nem penso em banheira nem nada. Aliás, banheira é a última coisa que me interessa em motel, não vejo muita utilidade [será falta de imaginação?] =P

Patricia Scarpin disse...

Fico um tempo sem vir aqui e tem esse monte de post bom. E eu nem me surpreendo com isso.

<3