quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Semanário da obra

Estamos naquela fase que a coisa anda, mas não parece. Poeira por todo lado. Toda noite quando chego tem a sessão varreção. E tiração de pó. Pra ficar tudo branquinho de novo no dia seguinte. Em primeiro lugar porque, por mais que sejam gente boa, competentes, discretos, econômicos, enfim, por mais que você tenha a equipe de pedreiros dos seus sonhos, eles sempre serão uns porcos. Vão cortar azulejo dentro do seu quarto, por exemplo, pra não perder tempo dando volta por fora da casa - daí a poeira entra no seu guarda-roupa, pelos mínimos buraquinhos, e quando você vai pegar o pijama de noite vê que está tudo branco por dentro. Até as blusas pretas de lã. Sem contar os ossinhos de galinha da marmita, que são jogados no quintal, e encontrados por suas gatas-jaguatiricas sem classe.
Ah, sim, e ainda temos as goteiras. A Lady Murphy faz com que chova torrencialmente nos finais de semana, quando os pedreiros estão bem longe. Daí que choveu dentro de casa de novo: cachoeirinhas na salona, salinha, quarto da Nina. Você vai me perguntar: mas a reforma não visava principalmente arrumar o telhado e impedir a chuva de entrar? E eu respondo SIM mas com a construção da laje pra caixa d'água e tudo o mais de preparação para a central de gás e o aquecimento solar, ocorre que boa parte do telhado fica aberta, só com uma lona, que não dá conta quando chove o que seria num mês todo, num dia só. Além disso os pedreiros ficam andando lá por cima e quebram telhas, obviamente. Dilema tostiniano: eles sobem pra arrumar o telhado e acabam fazendo buraco. Um dia acaba. Reza a lenda que daqui a quinze dias.


Situação right now. Fogão e geladeira na sala de tv. Imagine-me ali na mesinha atrás do sofá, tuitando e lendo jornais de ontem e anteontem (o de hoje só chega na hora de sair). Nina dormiu na vó porque o nível de desconforto aumentou bastante.


Isso porque a cozinha já está quase toda de chão novo. Sai o branco encardido de pedra, entra a imitação lajotística de madeira. Pra dar uma unidade com a salinha e porque é melhor de limpar, mesmo.



Só que, como é de praxe, o cálculo de material estava errado: faltou uma caixa de laj... cerâmica. E adivinha se tinha na loja? Claro que não. Só chegam na quinta-feira. Então até amanhã o serviço fica assim, quase no fim.



Na salona não restou nem a lembrança da parede de pedra. Já disse que os lustres estão com os dias contados, né? Tem uma loja daqui que os aceita como parte de pagamento por novos, porque eles são de cristal sei lá daonde, que podem ser reutilizados. Daí povo diz, viu, é de cristal. E eu, "so what?, são feios do mesmo jeito". Anônimo dos coments, estou aguardando sua oferta! ;)



O banheiro da suíte presidencial, branquinho, zoneado. O chão, como eu disse antes, ainda é um mistério se vai ficar bom ou ruim - porque a cor acabou se revelando um cinza-cimento que não era o que parecia na loja. A conferir.



Olhando assim pra casinha da caixa d'água nem parece que mudou alguma coisa, mas vigas ultra-mega-power de ferro foram soldadas, vazamentos foram contidos etc. etc. Sei que os caras ficam ali  o dia inteiro. A fase agora é de esperar a entrega dos canos que faltaram. Só quinta-feira também. Alá o Juca Bala, meu Kazinho vermelho.



Tá vendo a minhoquinha acobreada saindo da terra? É o cano de cobre do gás, que vem lá da casinha. Ele vai pelo chão até a caixa d'água. Foi por causa da decisão de botar os botijões de gás lá longe que acabou faltando cano.


Olha só: a tripinha de cobre vem lá da frente, passa pela cozinha e segue sempre arriba.



O tanto que sobrou de tijolo. E a janelinha nova do banheiro da suíte. E a zona. Amanhã teremos novidades chegando com o caminhão da loja de materiais de construção. Estou preocupada com o armário do banheiro, mas isso rende um post novo. Vou manter o antigo, que é grandão e legal, mas quero pintar. Então imagina só. Vamos ver como me saio. *suspiro* That's all folks.

5 comentários:

asnalfa disse...

Vai pintar a casa do lado de fora tb?? Que cor vc vai por? Aqui em casa a gente pintou do lado externo de verde kiwi e lado interno de verde erva-doce. Ficou divino!!
Bjos!

Ronise Vilela disse...

Repito: corajosa, heroína ou é cumprimento de karma mesmo?

Tina Lopes disse...

Asn, que lindo! Mas o verde erva-doce é muito "gelado" pro nosso clima. Sério. Pintaremos só por dentro, por fora fica esse verdinho (que era pra ser cinza esverdeado) mesmo. Tô pensando em vermelho na cozinha, um verde escuro musgão numa parede da sala - ou concreto, ou berinjela; outra cor berrante no corredor, o marido quer o escri azul, eu quero o quarto colorido também. Ou seja, é bem capaz de sair tudo branco. =D

Rô, eu ando zen. Isso não é coisa de heroína, é de gente desacorçoada. Mas deve ter karma no meio, claro.

Wagner Lopes disse...

Odeio reformas, sempre me estresso com a bagunça.

Anônimo disse...

Tinha dois destes lustres na minha casa, eram o must nos anos 80 (pelo menos para nós). Lembro ate da viagem a Ctba para compra-los, eu devia ter uns 7 anos. Enfim, ano passado foram vendidos junto com a casa, sem dó nem piedade. Alias, foi um alívio os novos proprietários gostarem deles.

Simone